Manutenção em Aeronaves Cirrus

Manutenção em Aeronaves Cirrus

Tudo o que você precisa saber sobre a manutenção em aeronaves Cirrus

De modo geral, as qualidades das aeronaves Cirrus são reconhecidas no mundo inteiro. Essas máquinas são classificadas como modernas, muito bem equipadas e altamente seguras. De acordo com informações institucionais, todas as aeronaves possuem uma vida útil de aproximadamente 12 mil horas, o que gira em torno de seis décadas de uso.

A única exigência para que essa elevada condição adequada para utilização seja corroborada se deve às inspeções e manutenções cotidianas. Além disso, a companhia assegura que as principais partes das aeronaves são verificadas em condições viáveis para operar com o dobro de tempo estabelecido na sua vida útil.

Estrutura e a vida útil das aeronaves Cirrus

Conforme dados da Cirrus, a escolha se deve para provar que a estrutura de suas aeronaves é sólida o bastante para alcançar o limite de vida útil sem a exigência de vistorias complexas, que normalmente demanda alto investimento e ainda a paralisação das atividades durante o tempo desta manutenção.

Sendo assim, o desenvolvimento dos projetos é executado para que ao chegar ao limite estabelecido, as máquinas sejam submetidas a testes, avaliações e manutenções visando estabelecer um alongamento de sua vida útil.

De acordo com o posicionamento da Cirrus, há uma preferência pela simplicidade e praticidade, oportunizando que os respectivos clientes obtenham altíssimo nível de competência e economia.

Como deve ser feita a manutenção do Cirrus?

De acordo com informações da empresa, aproximadamente seis mil unidades já foram desenvolvidas. No território nacional, há cerca de 350 aeronaves em funcionamento nos dias de hoje. Mas, como deve ser realizada a manutenção dessas aeronaves?

Vale salientar que esses modelos foram certificados pelos órgãos nacionais ainda em 2005 e cumprem todas as medidas padrões exigidas pelas autoridades aeronáuticas no mundo, como a FAA e a EASA na Europa e a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) no país.

De modo geral, a manutenção deve ser feita em um centro homologado pela ANAC e possuir um mecânico, no mínimo, qualificado pela própria companhia. A partir daí, a programação de vistorias e manutenções impõe avaliações a cada 50 a 100 horas de voo até atingir o limite de 12 mil horas.

Neste ponto, a aeronave deve ser submetida a uma inspeção completa de célula. Antes disto, o sistema do paraquedas (CAPS) deve ser substituído ao completar uma década de utilização. Já a hélice deve passar por revisão geral a cada 2400 horas ou seis anos, o que acontecer primeiro, enquanto o motor precisa ser vistoriado a cada 2000 horas.

Se porventura, o piloto atingir uma média de 200 horas de voo por ano, algo em torno de 60 mil quilômetros percorridos anualmente, precisará de seis décadas para necessitar de uma primeira revisão geral da estrutura da aeronave.

Por fim, a própria companhia oferece uma garantia de 24 meses ou mil horas de voo, o que acontecer primeiro com a aeronave. No entanto, esse prazo pode ser estendido para até cinco anos conforme o desejo do comprador.

Está precisando deste serviço de manutenção? A Chamone Aviação Executiva fornece esse suporte com profissionais qualificados e mais de cinco décadas de atuação neste segmento.

Você pode entrar em contato pelo número: (31) 3494-7100 ou (31) 3441-4064, email contato@chamoneaviacao.com.br ou no endereço Rua dos Hangares, 02 Aeroporto Pampulha, Belo Horizonte (MG).

 

ENTRE EM CONTATO CONOSCO
SOLICITE SUA COTAÇÃO

Fale com a Chamone Aviação

Você deseja receber o contato de um especialista?

Quer tirar dúvidas sobre o nosso atendimento, conhecer melhor nosso corpo técnico ou saber mais sobre uma aeronave? Temos um especialista a disposição.